Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado

  • Home
  • Notícias
  • Últimas Notícias
  • Varejo cresce 6% em 2017 e previsão é crescer mais em 2018, aponta Alshop - Folha de S.Paulo

Varejo cresce 6% em 2017 e previsão é crescer mais em 2018, aponta Alshop - Folha de S.Paulo

Depois de três anos de queda, o comércio brasileiro pôde comemorar um Natal de alta nas vendas.

Segundo indicador de atividade do varejo brasileiro medido pela Serasa Experian, de 18 a 24 de dezembro, as vendas nominais (sem levar em conta a inflação) subiram 5,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. A entidade diz que o desempenho é o melhor desde 2011.

No final de semana do Natal, de 22 a 24 de dezembro, houve aumento de 0,8% no comércio de todo o país na comparação com o final de semana equivalente ao do ano anterior (16 a 18 de dezembro). Apenas na capital paulista, de 22 a 24 de dezembro, as vendas subiram 5,2% ante a mesma semana de 2016.

Os shopping também celebraram um Natal positivo, após dois anos de retração.

Segundo a Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), o movimento nas lojas foi de R$ 51,2 bilhões, um crescimento nominal de 6% em vendas.

No ano, as lojas em shoppings faturaram no ano R$ 147,5 bilhões, um aumento de 5% sobre 2016. Apenas no Natal o movimento nas lojas foi de R$ 51,2 bilhões, um crescimento de 6% em vendas.

O incremento anual ficou acima dos 4% previstos inicialmente pela associação e, para 2018, a expectativa é seguir com a melhora dos números, ainda que Copa e eleições possam pesar, de forma negativa, na decisão de compra dos brasileiros no próximo ano.

"Mesmo assim, o crescimento do setor deve ser maior se comparado aos anos anteriores", disse Luís Augusto Ildefonso, diretor de relações institucionais da Alshop.

"Teremos um 2018 seguramente melhor que 2017, mas será um alento, não uma explosão de vendas", afirma.

Brinquedos (10%), bijuterias, óculos e acessórios (9,2%) e produtos para animais de estimação (7,5%) foram os segmentos mais vendidos pelos centros comerciais neste ano, tendência que deve ser seguida.

A migração das compras para lojas on-line também é outra propensão do consumo no país. Em 2017, a modalidade representou 4,3% das vendas do varejo no Brasil, enquanto em 2016 a participação foi de 3,8%.

MESMOS FATORES

Serasa e Alshop concordam sobre os fatores que contribuíram para tais números. Entre eles, os sinais de recuperação lenta e gradual da economia, o programa da liberação das contas inativas do FGTS, responsável por injetar R$ 44 bilhões na economia, e a redução da taxa básica de juros para 7%.

Também contribuiu, no caso da associação dos lojistas, o fato de 12 shopping centers terem sido inaugurados no Brasil em 2017, cinco deles nas capitais do país e sete no interior. Esses novos pontos trouxeram para o mercado cerca de 2.000 novas lojas, que criaram 20,6 mil novos empregos. 

Últimas Notícias