Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado

Construção civil mostra otimismo em janeiro - Valor Econômico

Todos os indicadores de confiança da construção civil indicam melhora em janeiro, de acordo com a Sondagem Indústria da Construção divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice de expectativas sobre o nível de atividade subiu para 58,4 pontos, o de novos empreendimentos e serviços aumentou para 58,1 pontos, o de número de empregados alcançou 56,1 pontos e o de compra de insumos e matérias-primas atingiu 56,5 pontos. Os indicadores variam de zero a cem pontos. Quando estão acima dos 50 pontos mostram que os empresários estão confiantes.

A disposição para investir também melhorou. O índice de intenção de investimentos aumentou para 38 pontos neste mês, o maior nível em cinco anos. De acordo com a pesquisa da CNI, o indicador cresceu 5,5 pontos de outubro para janeiro. Com a melhora significativa ao longo do quarto trimestre de 2018, o índice está acima da média histórica de 33,6 pontos.

O indicador também varia de zero a cem pontos: quanto maior o índice, maior a disposição para investir. A pesquisa mostra ainda que o Índice de Confiança do Empresário da Construção (Icei-Construção) alcançou 63,7 pontos em janeiro e está muito acima da média histórica de 53,1 pontos. Todos os componentes do ICEIConstrução melhoraram em janeiro frente a dezembro. Mas, pela primeira vez desde 2014, os empresários do setor estão otimistas com as condições atuais dos negócios. O índice de condições atuais subiu para 51,6 pontos, ficando acima da linha divisória dos 50 pontos, que separa a confiança da falta de confiança. Já a atividade e o emprego na indústria da construção tiveram nova queda em dezembro.

O índice de nível de atividade recuou para 44,4 pontos e o de emprego caiu para 42,8 pontos. Ambos continuaram abaixo da linha divisória dos 50 pontos e mostram queda da atividade e do emprego. O nível de utilização da capacidade de operação ficou em 57% em dezembro, mostrando que o setor operou com elevada ociosidade. A CNI observa que o fim do ano é, tradicionalmente, um período fraco para o setor. 

Últimas Notícias