Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado

Trabalho à distância é um atrativo da modernização - O Globo

A modernização do trabalho pode também ampliar as oportunidades. Regina Madalozzo, economista e coordenadora do Núcleo de Estudos de Gênero do Insper, observa que a revolução tecnológica aumenta as possibilidades de home office, o que facilita conciliar a criação dos filhos com a carreira.

Foi pensando nessa oportunidade que Déborah Monaco, de 30 anos, investiu em um curso de programação. Ela é formada em Publicidade e Propaganda e trabalha em uma agência, como designer. Quando teve sua filha, hoje com 2 anos e 6 meses, começou a repensar a carreira e viu nessa área uma oportunidade de trabalhar em casa, em uma jornada menos extensa. Enquanto não faz a transição de carreira, concilia o emprego na agência com trabalhos de programação por encomenda.

—Crio minha filha sozinha, mas quero ter mais filhos, apostando em um novo relacionamento. E a programação me permite trabalhar em casa — conta Déborah, uma das 116 formadas pela escola especializada em programação para mulheres PrograMaria.

A escola iniciou as atividades em São Paulo em 2016. Também realiza oficinas, pelas quais já passaram mais de 200 mulheres, e promove palestras em parceria com empresas que têm interesse em recrutar programadoras.

— Os melhores empregos estão no setor de tecnologia, e não podemos achar normal a baixa participação de mulheres nessa área. Precisamos debater por que não existe interesse e o fato de ser um ambiente muitas vezes hostil para elas, por serem minoria. É muito ruim para a sociedade deixar a perspectiva feminina de fora da inovação, até porque somos maioria no mundo — comenta Iana Chan, fundadora do PrograMaria. (Daiane Costa)

Últimas Notícias