cabecalho twitter twitter facebook twitter home facebook twitter home
         

Muitos analistas afirmam que o País já entrou em recessão. Não é para menos, com os números estimados para o PIB deste ano (retração de até 2%), inflação ultrapassando 9%, arrecadação em queda, comércio e indústria andando para trás e, em consequência, Serviços mostrando alguns dos piores resultados em muitos anos. Mas os empresários brasileiros são bons conhecedores de nossa história, sabem

 

enfrentar a tormenta com criatividade e fazem da ousadia uma arma para atravessar tempos difíceis. Uma dessas armas à disposição é o Trabalho Temporário como ferramenta de ajuste do quadro funcional em tempos de crise, mesmo fora de datas especiais, como Natal, Dia das Mães ou Páscoa. Bom para as empresas e para os trabalhadores. No Brasil, 85% das pessoas selecionadas para uma vaga temporária encontravam-se desempregadas antes.
Com o fim do contrato, apenas 30% regressaram ao desemprego. A avaliação consta do mais recente Relatório Econômico divulgado pela Confederação Internacional das Agências Privadas de Emprego (CIETT), que tem como associada e representante no Brasil a Fenaserhtt. O Trabalho Temporário é um facilitador da qualificação profissional e porta de entrada para o mercado formal, pois a experiência e habilidades adquiridas nesse período facilitam ao trabalhador o acesso a novas oportunidades futuras. Daí o significativo papel social desse segmento, que mostra sua força até nesses tempos de crise.

 

Na sua opinião, o Programa de Proteção ao Emprego (PPE) recém-lançado pelo Governo Federal cumprirá com o objetivo de preservar os empregos e salvar as empresas da crise?

Sim
Não








I SEMINÁRIO DO SETOR DE SERVIÇOS DE SANTO ANDRÉ E REGIÃO

O impacto do Setor de Serviços no Desenvolvimento Econômico





ENCONTRO GRHUVAL
Sustentabilidade do negócio em discussão





I FÓRUM DE TERCEIRIZAÇÃO

Cenários e perspectivas do setor no Brasil









LEI DA TERCEIRIZAÇÃO: PESQUISA INÉDITA REVELA
PERCEPÇÃO DAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

Consumidor RS / 21/07/2015

TERCEIRIZAÇÃO E MENTIRAS
Por Vander Morales
Estado de Minas / 09/07/2015

CARTEIRA SORTIDA – coluna Mercado Aberto
Folha de S.Paulo / 06/07/2015

MENTIRAS CONTRA A TERCEIRIZAÇÃO
Por Vander Morales
Folha Online / 04/07/2015

MENTIRAS CONTRA A TERCEIRIZAÇÃO
Por Vander Morales
ABRH Brasil / 06/07/2015

PESQUISA NACIONAL INÉDITA REVELA PERCEPÇÃO
DAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS SOBRE LEI DA
TERCEIRIZAÇÃO
Portal Nacional de Serviços / 20/07/2015

 

PRESTADORAS AVALIAM PL 4.330/2004
Mais de mil empresas participaram da pesquisa

Empresários da Prestação de Serviços reivindicam há mais de dez anos uma regulamentação para a atividade e, recentemente, a primeira vitória foi conquistada, com a aprovação do Projeto de Lei 4.330/2004 na Câmara dos Deputados. De acordo com pesquisa de âmbito nacional feita com empresas do setor, a lei traria mais proteção aos trabalhadores e segurança jurídica às empresas. ...

CONVENÇÃO COLETIVA
Acordos definem reajustes

O Sindeprestem e o Sindeepres, sindicato laboral que representa as categorias de logística e serviços gerais, firmaram Convenção Coletiva com data-base em 1º de maio de 2015. Para efeito de reajuste, as empresas devem calcular o percentual correspondente sobre os valores vigentes em 1º de maio de 2014. ...

FENASERHTT SOLIDÁRIA AO TRABALHO DECENTE
Federação é signatária de Código de Conduta da CIETT

A Fenaserhtt, única entidade brasileira a representar o setor de Trabalho Temporário e Terceirização na CIETT (Confederação Internacional das Agências Privadas de Emprego), apoia o Código de Conduta elaborado pela entidade global com o propósito de incentivar e mostrar o comportamento socialmente responsável e diferenciado das agências de recrutamento éticas e idôneas. ...